Morar em um imóvel diferenciado e elegante, com diversas opções de lazer e bem localizado é o sonho de muitas pessoas. E uma maneira de conseguir isso é por meio do financiamento.

Apesar de parecer um pouco incomum, financiar um imóvel de luxo é uma possibilidade que tem feito bastante sucesso. É claro que, nesses casos, as condições do financiamento são um pouco diferentes – mas essa é uma alternativa que traz muitas vantagens.

Quer entender melhor como funciona o financiamento de imóveis de alto padrão? Continue a leitura!

Como funciona o financiamento de imóvel de luxo?

O financiamento dos imóveis com valores mais altos é feito de maneira diferente, em geral, fora do Sistema Financeiro de Habitação (SFH) – que tem taxas mais baixas e foi o foco das políticas governamentais dos últimos anos.

São enquadrados pelo SFH os imóveis residenciais que custem até R$ 800 mil para todo o país, com exceção de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Distrito Federal, nos quais o limite é de R$ 950 mil. Acima desses valores, os imóveis só podem ser financiados pelo SFI (Sistema de Financiamento Imobiliário).

As taxas, é claro, variam de acordo com o banco. A Caixa Econômica Federal, por exemplo, trabalha com taxas de juros que variam de chegando a até 10% ao ano para os imóveis enquadrados no SFI e 9% ao ano no SFH.

Esses valores sofreram redução em 2018 quando a Caixa diminuiu em até 1,25 ponto percentual as taxas de juros do crédito imobiliário – o que representou economia de até 15,6% no financiamento de imóveis de até R$ 500 mil pelo prazo de 30 anos.

No Banco do Brasil, a taxa de juros varia de 11 a 13% para imóveis acima de R$ 500 mil, enquanto no Santander a taxa é de 13,5%. Já no Itaú, os juros dependem do histórico de relacionamento do cliente com o banco – uma estratégia compartilhada por outros bancos.

Além disso, as instituições financeiras também alteram a quantidade máxima do valor do imóvel financiada.  No Santander, para imóveis acima de R$ 500 mil, a quantia máxima é de 80%, mesma porcentagem que o Itaú e o HSBC. Na Caixa, é possível financiar até 80% do valor de um imóvel usado e 85% do valor de um imóvel novo. Já no Banco do Brasil, você conseguirá financiar até 90% do valor do imóvel.

As exigências para o financiamento dependerão se você optar pelo SFH ou SFI. No SFH, é preciso:

  • ter, no mínimo, 3 anos de contribuição para o FGTS;
  • não ter restrição de crédito;
  • optar por um imóvel residencial localizado em área urbana e que esteja registrado no cartório de imóveis;
  • não ter sido contemplado com outro financiamento imobiliário no sistema SFH;
  • o imóvel deve estar localizado na mesma cidade onde você reside ou trabalha há pelo menos 1 ano;
  • não ser proprietário de outro imóvel residencial urbano (em construção ou concluído).

Quem não se encaixa nessas exigências, deverá realizar o financiamento pelo SFI. Nesse caso, há algumas vantagens interessantes para os investidores ou para quem mira nos imóveis de luxo, como:

  • não há um valor máximo de avaliação do imóvel;
  • não existe limite de renda comprometida;
  • a compra do imóvel pode ser feita tanto por pessoa física como jurídica;
  • é mais fácil de negociar com os bancos;
  • taxas de financiamento não são fixadas (variam de acordo com o ano e o banco);
  • não é possível usar o FGTS.

Em ambos os casos, o tempo máximo para financiar varia de 30 a 35 anos.

Documentação

Depois de definir a melhor maneira de financiar seu imóvel de luxo, é preciso separar a documentação. As exigências podem variar de acordo com cada instituição financeira, mas em geral é preciso apresentar:

  • documentação pessoal;
  • comprovante de endereço;
  • certidão conjunta de débitos referentes aos tributos federais;
  • certidão de nascimento ou de casamento;
  • comprovantes de renda (holerite, declaração de Imposto de Renda, movimentação bancária etc.);
  • documentação do imóvel (registro, certidão negativa de ônus reais, certidão negativa de IPTU e alvará ou habite-se).

Quais as vantagens de financiar um imóvel de luxo?

Apesar de o financiamento de imóveis de luxo estar em franco crescimento no país, a maioria das pessoas que opta por essa modalidade, inicialmente, pensava em fazer a compra à vista. Mas, ao analisarem as vantagens oferecidas pelo financiamento, acabaram mudando de ideia.

Veja alguns dos pontos positivos dessa modalidade.

Reformas e decorações

Uma pesquisa realizada no estado de São Paulo com compradores de imóveis de luxo, mostrou que 33% dos pesquisados optaram pelo financiamento justamente para usarem o dinheiro que tinham guardado para fazer uma reforma ou um projeto de decoração para o imóvel.

Assim, você poderá otimizar a sua renda e deixar o novo imóvel de acordo com as suas exigências e necessidades.

Taxas de juros atrativas

A clientela que financia imóveis de luxo, geralmente, é mais diferenciada – e por isso são pessoas cobiçadas pelos bancos. Assim, há uma tendência no setor de flexibilização das taxas de juros.

Ou seja, ainda que eles estipulem valores médios, dependendo da negociação realizada e da compra de outros produtos na instituição financeira, é possível conseguir taxas mais atrativas, o que torna o financiamento um ótimo negócio.

Outros investimentos

O crédito imobiliário é um dos mais fáceis de serem conseguidos, especialmente para os clientes AAA. Então, o que se vê no mercado, são pessoas realizando o financiamento de imóveis de luxo e empregando o dinheiro que sobra desse crédito para realizar outros tipos de investimentos, por exemplo na própria empresa (já que o crédito para empresas nem sempre é fácil de se obter junto aos bancos).

Como você viu, financiar um imóvel de luxo é uma opção bastante interessante para quem sonha em morar bem, sem comprometer toda a sua renda e ainda podendo usar o dinheiro do investimento para reformas e decorações.

Gostou deste conteúdo? Aproveite e encontre o imóvel de alto padrão adequado às suas necessidades: conheça as opções de empreendimentos da Record!